Meditar é Yoga

As pessoas, em sua maioria, estão acostumadas a procurar a realização fora de si mesmas. Vivemos em um mundo que nos condiciona a acreditar que realizações externas nos podem dar aquilo que queremos. Contudo, repetidas vezes nossas experiências nos demonstram que nada externo pode satisfazer por completo o profundo anseio interno por “algo mais”.

Na maior parte das vezes, entretanto, esforçamo-nos por atingir o que sempre parece estar além de nosso alcance. Enredamo-nos em fazer em vez de ser, em agir em vez de perceber. É difícil para nós imaginarmos um estado de completa tranquilidade e repouso, em que os pensamentos e os sentimentos deixem de dançar em perpétuo movimento. Todavia, é por meio de tal estado de quietude que podemos entrar em contato com um nível de alegria e entendimento impossível de se alcançar de outra maneira.

Nossa percepção e nossas energias estão comumente dirigidas para o exterior, para as coisas deste mundo, que percebemos através dos instrumentos limitados de nossos cinco sentidos. Como a razão humana tem de contar com os dados parciais e frequentemente enganosos fornecidos pelos sentidos físicos, precisamos aprender a explorar níveis mais sutis e profundos de percepção se quisermos resolver os enigmas da vida: Quem sou eu? Por que estou aqui? Como posso conhecer a Verdade? …

O Yoga consiste em um processo simples de reversão do fluxo de energia e consciência, habitualmente dirigido ao exterior, de forma que a mente se converta em um centro dinâmico de percepção direta – não mais dependente dos sentidos falíveis, mas capaz de conhecer de fato a Verdade, por experiência direta.

Existem diversos caminhos de Yoga que conduzem a essa meta, cada um deles um ramo especializado de um sistema abrangente.

Hatha Yoga – Sistema de posturas físicas ou asanas, cujo propósito superior é purificar o corpo, dando à pessoa consciência e controle de seus estados interiores, tornando-a apta para a meditação.

Karma Yoga – Serviço isento de egoísmo aos outros como partes do Eu mais amplo da pessoa, sem apego aos resultados.

Mantra Yoga – Concentração da consciência no interior por meio de japa, ou repetição de certos sons de palavras-raízes universais que representam aspectos particulares do Espírito.

Bhakti Yoga – Devoção de entrega total, por meio da qual a pessoa empenha-se em ver e amar a divindade em todas as criaturas e em todas as coisas.

Jnana Yoga – Caminho da sabedoria, que dá ênfase à aplicação da inteligência discernidora para alcançar a libertação espiritual.

Raja Yoga – O caminho “régio” ou supremo do Yoga, que combina a essência de todos os outros caminhos, sistematizado formalmente, no segundo século a.C., pelo sábio indiano Patânjali.

No cerne do sistema de Raja Yoga, equilibrando e unificando essas diferentes abordagens, está a prática de  métodos científicos definidos de Meditação, que capacitam a pessoa a perceber, desde o início mesmo de seu esforço, vislumbres da meta final: a união consciente com o Espírito inexaurivelmente bem-aventurado.
A abordagem mais rápida e eficaz do objetivo do Yoga aplica os métodos de meditação que lidam diretamente com a energia e a consciência.
Também a moderna Psicologia tem estudado e atestado que são muitos os benefícios advindos da prática da meditação.

Aos poucos, a prática da meditação tem sido mais divulgada, conhecida e aceita. Apesar de fazer parte da humanidade há séculos, ainda hoje encontramos muitas pessoas que por falta de informação deixam de se beneficiar desta técnica milenar.

A prática da meditação ajuda a limpar a mente, amplia a capacidade de lembrança e, acima de tudo, proporciona prodigiosos insights que podem ajudar a resolver os problemas. É como se alguém fizesse aparecer a ideia dentro de você, quando a “ficha cai” – o que chamamos de insight.

Meditar vai além da concentração, é simplesmente dominar a mente, permanecer a consciência no presente, estar absolutamente consciente de todos os atos, é viver o agora, é viver yoga!

E tudo começa fechando os olhos, relaxando os músculos, tranquilizando a respiração. Tão simples e tão poderoso!

.