Yoga para Gestantes



A gravidez é apontada pelos especialistas como um momento propício para se iniciar no yoga, porque nesse período é comum a mulher sentir uma curiosidade maior em relação aos seus processos internos. A grávida passa por intensas transformações físicas e psicológicas, e os exercícios da ioga contribuem para ela ter maior percepção dessas mudanças porque centram atenção no corpo e na mente. É preciso, no entanto, consultar o obstetra antes de começar e procurar cursos voltados ao pré-natal, com exercícios específicos e apropriados para gestantes. 

Segundo as especialistas, as posturas de yoga alongam e tonificam os músculos, fazendo com que a futura mãe não fique com os movimentos restritos no final da gravidez. Além disso, os exercícios relaxam as articulações, ativam a circulação, aumentando a oxigenação do organismo, e ampliam a flexibilidade corporal, o que é essencial para a gestante se adaptar com mais facilidade às mudanças físicas e conseguir manter-se equilibrada diante das alterações hormonais que podem afetar o humor e o bem-estar. 

O ginecologista e obstetra Eduardo Zlotnik aponta o alongamento corporal propiciado pelo yoga como um dos benefícios mais importantes para a gestante. “Com o aumento da barriga, o ponto de equilíbrio da grávida se desloca para a frente, forçando alguns músculos que ela não costuma usar. E as costelas também sofrem um deslocamento, o que causa dor lombar e nas costas. Os exercícios tiram a dor em 80% dos casos”, afirma o médico. 

Outro benefício é a redução do inchaço. “Os exercícios de respiração fazem com que o coração trabalhe mais rápido, aumentando a circulação, impulsionando o funcionamento dos rins, o que minimiza a retenção de líquidos”, diz. As gestantes, lembra ainda o médico, ficam mais emotivas e propensas ao estresse por conta de suas alterações hormonais. “O yoga, como todo exercício, eleva a produção de endorfinas, substâncias que dão sensação de bem-estar. E, como envolve toda uma filosofia, potencializa esse efeito”, diz Zlotnik. 

Para que se alcance os benefícios prometidos pelo yoga, a regularidade da prática é recomendação básica, assim como seguir os limites do seu corpo na realização das posturas, porque a elasticidade é uma conquista progressiva. O ideal é que a gestante faça pelo menos duas aulas por semana e dedique de 10 a 15 minutos diários para a prática, que pode ser feita à noite, antes de dormir. A meditação antes do sono faz dormir mais relaxada e acordar com mais disposição.  
Como a mente pensa em várias coisas ao mesmo tempo, concentrar-se em apenas uma, de preferência algo tranquilo, costuma ajudar a relaxar. É possível treinar a concentração fixando atenção na respiração, por exemplo. Ou concentrar-se em um mantra — no caso do yoga, é a repetição de “om”, considerado pelos iogues como o som da criação. 


Preparando-se para o parto
Como o yoga ensina a grávida a escutar o próprio corpo, a prática pode ser uma poderosa aliada na preparação para o parto. Nas sessões, a gestante mentaliza o momento do nascimento e treina posturas e respirações que a ajudam a suportar melhor as contrações e a facilitar a expulsão. Toda essa preparação reduz o medo, um dos principais entraves ao trabalho de parto. 

As mulheres que praticam yoga têm mais chances de ter um parto normal, segundo o ginecologista Zlotnik. “A grávida que tem tranquilidade e paciência para praticar yoga não desiste do parto normal na primeira contração”, diz. Isso porque ela passa a conhecer melhor toda a musculatura da pelve, o que a auxilia no trabalho de parto, e desenvolve um controle emocional e espiritual, que a ajuda a suportar as dores. 


Voltando à forma

No pós-parto, período no qual cresce a propensão das mulheres a apresentar problemas como depressão, por exemplo, a prática regular de yoga, que pode ser iniciada cerca de 40 dias após o nascimento, auxilia a mãe a manter o equilíbrio emocional. “Podemos observar que as mulheres que praticam yoga têm chance menor de desenvolver depressão”, diz Zlotnik. Como exercita os órgãos internos e a musculatura, o yoga também ajuda a reencontrar as formas.


Fonte: Revista Crescer / Texto: Deborah Kanarek


Os benefícios do yoga na gestação não se limitam ao seu bem-estar físico:

  • Favorecimento da circulação sanguínea amenizando inchaços, dormências e varizes
  • Ampliação na respiração materna oxigenando melhor a mãe e o bebê 
  • Fortalecimento do assoalho pélvico, preparando o períneo para o parto
  • Alívio e prevenção de dores nas costas
  • Recuperação mais rápida no pós-parto
  • Alívio na prisão de ventre
  • Favorecimento da comunicação mãe – bebê
  • Maior equilíbrio nas flutuações de humor
  • Redução da ansiedade